Literatura

Loading...

terça-feira, 1 de maio de 2012

Resenha crítica do livro: A Psicopedagogia no Brasil

A psicopedagogia como objeto de estudo e aprendizagem


BOSSA, Nadia Aparecida. A Psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática – 4. ed. – Rio de Janeiro: Wak, 2011.

A obra – Esta obra é o resultado da quarta edição (a primeira é de 1994), também publicada por Nadia Aparecida Bossa, composta de oito capítulos: fundamentos da psicopedagogia; a psicopedagogia no Brasil e na Argentina;  a formação do psicopedagogo no Brasil; a configuração clínica da prática psicopedagógica; o tratamento psicopedagógico; a prática científica e a emergência da psicopedagogia como ciência; a graduação em psicopedagogia e campo epistemológico, com subdivisões, num total de 248 páginas.

O autor – Nadia Aparecida Bossa é Pedagoga, Psicóloga, Psicopedagoga, Especialista em Neuropsicologia pela IPQ/HC. Mestre em Psicologia e Educação pela PUC/SP. Doutora em Psicologia e Educação pela USP. Autora de diversos livros na área de Psicologia. Possui livros traduzidos na Espanha, é coordenadora de diversos cursos de especialização em Psicopedagogia em diversas universidades: PUC/SP, PUC/Minas. Diretora científica da associação Brasileira de Psicopedagogia.

Resumo – A obra traz o conceito de Psicopedagogia na concepção de vários autores, como também, seu objeto de estudos e suas teorias que embasam o trabalho psicopedagógico. Define que a forma de abordar o objeto de estudo pode assumir características específicas, a depender da modalidade: clínica, preventiva e teórica. Caracteriza como o movimento da Psicopedagogia Argentina tem influenciado na prática no Brasil, bem como, define sua área de atuação: institucional e clínica.

Os diversos autores que tratam a psicopedagogia enfatizam seu caráter interdisciplinar. Reconhecer tal caráter significa admitir a sua especificidade enquanto área de estudos. Considera suas implicações na prática, portanto, a Psicopedagogia não pode ser pensada como uma aplicação da Psicologia à pedagogia, para encontra sua definição, Bossa sugere pensar nos objetos de estudo da psicopedagogia, pois conhecer os fundamentos da Psicopedagogia implica em refletir sobre suas origens teóricas, ou seja, revisar velhos impasses conceituais subjazentes à ação e à atuação da Pedagogia e da Psicologia no aprender do fenômeno educativo.

Bossa fala no movimento da psicopedagogia no Brasil que se remeteu ao seu histórico na Argentina e diferem-se em alguns pontos, sobretudo no que se concerne a prática, como também, que a psicopedagogia clínica procura compreender de forma global e integra os processos cognitivos, emocionais, culturais, orgânicos e pedagógicos. Já a psicopedagogia institucional trabalha na construção do conhecimento do sujeito, que, é, a instituição com sua filosofia, valores e ideologia.

Finalizando sua obra, Nadia Bossa, fala da aprendizagem humana e sua complexidade, as quais exigem investigação. Considera que a ação psicopedagógica se estruturou da integração do conhecimento de psicologia, psicanálise, Pedagogia, Biologia, Filosofia, Linguística, Antropologia e Neurologia. Para a autora construímos ao longo desses anos novas aproximações do objeto de estudo e, quando se trata de teoria, a soma das partes não compõe o todo. Considera que no avanço da produção científica o sujeito da Psicopedagogia assume contornos específicos. Não se tratando do sujeito epistemológico de Piaget, nem do inconsciente de Freud, nem do cindido de Lacen, mas o resgate de sujeito total, não a soma, mas articulação desses sujeitos.

Comentário crítico – Obra que leva-se a compreender alguns conceitos psicopedagógicos, contudo, para isto, precisa-se fazer um estudo mais avançado das diversas concepções dos diversos autores. Apesar de partirem de campos diferentes de abordagens, mesmo com contradições e indefinições todos eles têm a aprendizagem e o desenvolvimento humano como foco central.

Ponto crucial na obra e deixa claro o papel do psicopedagogo e sua importância nas instituições, é quando a autora define como o profissional conseguiria transformar o nível da Educação, bem como, melhorar a qualidade e o desempenho dos educadores e educandos.

Ao invés de se decidirem por investir mais na profissão psicopedagógica e aproveitar seus resultados, preferem colocar a culpa do fracasso escolar na Escola, nos educadores e nos educandos, muitas vezes indicando sempre um tipo de distúrbio de aprendizagem ou problema social, o segundo pode até favorecer, mas não pode ser direcionado como causa principal, pois muitos educandos têm problemas sociais mais se desempenha bem na Escola. Precisa-se na verdade, acreditar no psicopedagogo e suas soluções para os problemas escolares.

Nadia Bossa consegue passar de maneira bem convincente que a Psicopedagogia não têm “limites”, mas sim, objetivos concretos em prol de “uma” aprendizagem e “uma” Pedagogia que transforme, mudando a concepção de fracasso escolar.

Indicação – Dentro dos aspectos supracitados e pelas contribuições recomenda-a para profissionais que desenvolvam atividades na área educacional, como também profissionais de outras áreas que trabalhem com atividades ligadas a aprendizagem.

Resenhista - Claudio Santos de Jesus, Graduado em Letras pela Faculdade de Tecnologia e Ciências – FTC. Pós-Graduando em Psicopedagogia e Graduando em Pedagogia pela Universidade Salvador-UNIFACS.

3 comentários:

  1. boa tarde, professor gostaria de saber como posso ter seu e-mail para entrar em contato, pois estou cursando pós em psicopedagogia e estou precisando de ajuda quanto a alguns livros. Meu email é magbarros2008@hotmail.com. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, colega! Meu email é : professorclaudiosantos@gmail.com

      Excluir
  2. Olá, colega! Meu email é: professorclaudiosantos@gmail.com

    ResponderExcluir